Demitido do Uniclinic após 14 dias de trabalho, Roberto Carlos desabafa: não tive tempo para trabalhar

Imagem: O Povo

Após 14 dias de sua chegada, Roberto Carlos deixa o comando do Uniclinic, com quatro jogos e quatro derrotas. Em passagem relâmpago, o técnico alega, em entrevista exclusiva ao Futebol Cearense, que não teve tempo para trabalhar.

– Certeza que não tive tempo suficiente para trabalhar e descansar o elenco. Sem descanso e tempo para treinar, o time jogava então é muito difícil você fazer uma análise desta maneira.

Roberto garantiu que a saída da Águia da Precabura foi uma surpresa até mesmo para ele.

– Pior que não recebi uma ligação ontem pela manhã dizendo que estava tudo bem, mas que tinha que trabalhar para sair dessa situação, e hoje pela manhã, recebi uma nova ligação já com o inverso da conversa anterior, falando que o Jurandir ia ser gerente e levar o treinador dele. Então, fiquei sem entender! A única explicação foi essa.

Sem entender o ocorrido e ainda sem compreender a situação, o técnico desabafa.

– Fazer o quê? Eles dizem que são as coisas do futebol…

Apesar dos maus resultados, Roberto analisa a sua passagem pelo o Uniclinic.

– A equipe que não vive um grande momento, mas eu fui para trabalhar com um elenco vencedor e buscar os resultados a todo custo, o infelizmente não aconteceu, era um grupo muito bom de trabalhar.

É fato que Roberto assumiu a Águia da Precabura em uma grande sequência de jogos e com adversários de qualidade, com dois dias no comando foi à Recife enfrentar o Santa Cruz; três dias depois recebeu a Portuguesa, pela Copa do Brasil; quatro dias depois enfrentou o Fortaleza e, mais uma vez, com três dias de diferença pegou o Maranguape. Assim, o técnico não teve uma semana sequer para se dedicar aos treinos técnicos e táticos.

Mesmo após a sumária saída, Roberto Carlos se mantém otimista.

– Então é ter calma, estudar mais ainda e, quando aparecer outra oportunidade de trabalho, a gente possa tá mais atualizado.